Um audiência pública na Câmara de Vereadores de Porto Velho deu início ao projeto 16 Dias de Ativismo, promovido pelo governo do estado através da Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas). Representantes do poder judiciário, da delegacia da mulher e de diversos outros órgãos estiveram no primeiro debate totalmente à violência contra a mulher e seus impactos sociais.

Vilma Alves, secretária-adjunta de assistência social, esteve presente no debate e ressaltou a importância de adaptar a linguagem também aos homens, para que a violência deixe de ser cometida. “Nos lares onde o amor não está presente, a lei precisa entrar sendo dura e implacável. Precisamos mudar a cultura machista, falar com os homens e mostrar que se agirem com violência, seja ela qual for, o estado tomará as providências. Da mesma forma precisamos deixar de privar as vítimas de seus direitos, de tirá-las de seus lares e enviá-las para abrigos. Não são elas quem deveriam estar encarceradas”, enfatiza.

A iniciativa é promovida pela coordenação que promove a discussão dos direitos da mulher no estado, através da Seas. Dejanira Maria, gerente do núcleo, diz que essa é a segunda promoção dos 16 Dias de Ativismo e que envolverá também discussões relacionadas aos direitos humanos.

“No dia 10 de dezembro o encerramento acontece com um grande evento em alusão ao Dia dos Direitos Humanos. É nessa ocasião que colocamos em pauta os direitos violados e o combate a isso”.

O que são os 16 Dias de Ativismo?

A Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres é uma mobilização anual, praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Desde sua primeira edição, em 1991, já conquistou a adesão de cerca de 160 países. Mundialmente, a Campanha se inicia em 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos, passando pelo 6 de dezembro, que é o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

Secom – Governo de Rondônia