Deputado Lebrão solicita benefícios para índios karitiana em reunião na Seagri

O deputado José Lebrão (MDB) intermediou na manhã de terça-feira (19), reunião entre a adjunta da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Eloísa Helena Bertoletti, e representantes de cinco aldeias indígenas de Porto Velho e Candeias do Jamari. As lideranças karitiana pediram melhorias nas estradas, apoio para a prática da piscicultura, equipamentos agrícolas e assistência técnica para aumentar a produção das lavouras.

Lebrão explicou a Eloísa Bertoletti que algumas das reivindicações serão encaminhadas a outros órgãos do governo do Estado e também à Secretaria Municipal de Agricultura (Semagric) de Porto Velho. O deputado pediu, então, aos líderes indígenas que explicassem os principais problemas.

De acordo com os índios, a principal entrada para as aldeias Central, Bom Samaritano, Juari, Caracol e Rio Candeias precisa ser recuperada, em um trecho de 84 km. São pouco mais de 40 km na Linha 43 e o restante na Linha 27. Além disso, são necessários assegurar a manutenção de 45 km da Linha 32, a partir da BR 364.

“Essas questões deveremos resolver junto ao DER. O certo é estadualizar essas estradas, para que o governo tenha o compromisso de assegurar a trafegabilidade. Porto Velho tem mais de 7 mil km de vicinais, uma quantidade muito grande para uma prefeitura. É preciso apoio governamental”, adiantou Lebrão.

A secretária adjunta adiantou que 17 tratores deverão ser encaminhados para a prefeitura da capital, que destinará as máquinas para associações. Lebrão especificou que entrará em contato com a Funai, para que o órgão solicite dois desses tratores para atender as aldeias dos karitiana.

“A Semagric pode fazer tanques na terra indígena, e a Seagri, através da Emater, cuidará da cooperação técnica para assegurar criação de peixes dentro de técnicas modernas”, destacou Eloísa Bertoletti.

Os indígenas explicaram, ainda, que produzem macaxeira, banana, milho, feijão e café, mas também falta acompanhamento técnico. A adjunta da Seagri orientou as lideranças a buscarem cadastramento na prefeitura, para que possam vender esses produtos em Porto Velho.

ALE/RO – Nilton Salina

Foto: Ana Célia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: